PARA VIDEOCURSO SOBRE FINANÇAS GRÁTIS CLIQUE AQUI

PARA VIDEOCURSO SOBRE FINANÇAS GRÁTIS CLIQUE AQUI
PARA VIDEOCURSO SOBRE FINANÇAS GRÁTIS CLICA NO CARTÃO ACIMA

quinta-feira, 29 de outubro de 2020

Percepção e crescimento interior ocorridos com um relacionamento meu

 


Eu me lembro que eu já estava na fase de transformação consciente interior quando comecei a me relacionar com um administrador de empresas da cidade onde moro.

Percebi  que talvez não fosse a pessoa para mim, pois sempre tem um feeling interno que nos conduz nos relacionamentos, mas não sabia o que fazer.

Ele não me traía, não fumava, não bebia, não tinha filhos, não gostava de noitadas, mas tinha algo estranho na atitude dele que não me deixava ser muito próxima, como sempre gostei de expressar meu carinho quando me relaciono com alguém.

De cara decidi terminar, pensando que ia ser melhor para os dois, mas algo em mim me dizia que eu estava perdendo tempo tentando decidir algo que eu na verdade não tinha certeza.

O que minha intuição estava querendo me dizer era que não seria a pessoa definitiva para mim, mas que poderia aprender mais sobre mim seria possível com esse jornada relacional.

Decidi em primeiro lugar não precisar me decidir, aceitar a incerteza como condição normal da vida.

Depois pude treinar em mim a aceitação de quem não tinha interesse nenhum em que eu estudava, pois quem tinha que estar interessada nos meus projetos precisava ser eu mesma, porque os projetos eram criados por mim, para mim, comigo, que é o que ocorre quando alguém busca se conhecer melhor.

Aprendi também a me amar e seguir no meu melhor, indiferente de outros reconhecerem o que estava ocorrendo dentro de mim com meus propósitos.

Entendi que o relacionamento não é uma muleta ou um amparo não recebido na infância, onde a pessoa se apoia e sim a oportunidade de se ver melhor, o que me fez me desapegar completamente de julgar e de querer transformar meu par e continuar na condição interior de autotransformação dos meus pontos de vista.

Então em uma bela tarde de uma ensolarada semana de verão de fevereiro de 2010 eu decidi me desconectar dessa pessoa, sem dúvidas, remorsos, medos e  culpas, entendendo que os dois fizeram o que puderam durante o tempo em que estiveram juntos. Eu aprendi muito sobre mim nesse relacionamento e se ele aprendeu eu não tinha a necessidade de saber também, pois minha consciência estava tranquila e desapegada dessa condição para ser feliz.

Lembro que ainda nos reencontramos umas 3 vezes, mas os laços realmente foram cortados por completo da minha parte pois meu sentimento era como se estivesse encontrando com um desconhecido.

E assim são todos os relacionamentos: nos apaixonamos, onde o controle químico do que sentimos não existe, para que nos deixemos conduzir pela experiência íntima de auto percepção e transformação sem restrições.

E como a maioria usa máscaras que além de se esconderem de outros, escondem-se de si mesmos sobre seus julgamentos interiores, quando tais aparatos caem das faces, você percebe a si e ao outro como seres desconhecidos, que podem ser considerados abomináveis ou incompatíveis e temos o direito de rejeitar tais experiências, mas podemos também nos perguntar do porquê de sermos tão distantes nas relações conosco, qual é a condição inicial que nos fez colocar tal máscara, como a de boazinha, distante, ou mesmo a de sempre feliz.

Se relacionar é uma oportunidade para primeiro deixarmos cair as máscaras pessoais, pois não temos como controlar as emoções e as máscaras tudo ao mesmo tempo.

E se ver pode ser algo não muito confortável, mas é nossa única chance real de sermos felizes com o casamento que dura para toda a vida, que é o que existe conosco.

Se não conseguir aprimorar e nutrir esse relacionamento interior, estou a disposição para sessão individual e dúvidas, clica aqui



sábado, 12 de setembro de 2020

Será que não estamos sendo teimosos da maneira errada?

 Explico para minhas clientes que todos nascemos com um quite de ferramentas natas que a maioria não usamos para não sermos rejeitados, mas se viemos ao mundo com elas é por que em algum momento  da vida serão úteis, mas precisaremos escolher como usá-las e treinar seu uso, e rejeitá-las é desperdício do divino em nós, de energia e também de tempo existencial e criação de autossabotagem, já que esse corpo tem prazo de validade desconhecido, mas que com certeza não é indeterminado.

Existe uma sutil diferença entre teimosia e persistência e o série que segue me ajudou a ter essas e muitas outras percepções.

Estava vendo a série o alienista, sugerido por uma cliente minha, já que gosto das questões emocionais, onde com os crimes de um serial killer, o psiquiatra tenta evitar e eliminar novos assassinatos cruéis de meninos que se prostituiam.

A obstinação do protagonista pela verdadeira razão das ações desumanas do assassino,  o levou a eventos desagradáveis desnecessários  como quase morrer nas mãos de um psicopata que estava preso, só porque queria entender o que levava uma pessoa a querer matar ou mesmo torturar.

Ele pressionava pessoas a se olharem profundamente, algo que ele somente fez quando a mulher que amava foi assassinada por um dos policiais corruptos do seriado.

Eu gosto de enfatizar para minhas clientes que sempre existe pelo menos uma mensagem além do bloqueio no corpo promovido pelo trauma de qualquer tamanho, mas essa mensagem também pode ser a de nos permitirmos seguir apesar dos eventos desventurosos que nos ocorreram, começando por dar a liberdade ao corpo para deixar ir tais eventos, pois é seguro deixar ir e tudo vai ficar bem se assim ocorre e que também não precisamos mais nos mantermos parados onde estamos  para sermos o estandarte do erro de outros.

Persistamos na liberdade de seguir e não na teimosia em ficar nos eventos que nos feriram, porque não compreendemos os motivos de terem ocorrido como tal.

Persistir na vida, na plenitude relacional que é a lei universal, pois tudo na vida se mostra com um seguir natural, ficando totalmente em si, tanto sua energia, como seu foco, nunca nas coisas , situações ou pessoas, tendo em mente que é esse nosso direito divino natural e nato e também é o grande plano sideral disponível para todos.

Temos tanto para experimentar, viver, degustar, então sigamos mesmo que não entendamos...

#vidasqueseguem #naraeft #naramullereft #teimosiaxpersistência #ferramentasnatas #mentoriapararelacionamentosassertivos #sigamosapesardostraumas #euescolhovalidar2020

quinta-feira, 27 de agosto de 2020

A vida de um anu e a visão da vítima

 

Outro dia estávamos eu e meu marido jogando badminton, e tive a oportunidade de mostrar um anu para ele, que fez fotos, pois estava com medo que o animal fosse embora antes de conseguir mudar o módulo da celular para filmagem.

Quando tinha 8 anos, viajamos por algum tempo para outra cidade e quando voltamos tinha um ninho cheio de pequenas aves pretas como o carvão dentro da churrasqueira e me lembro de ouvir o comentário familiar: o anu é um tremendo de um experto, coloca seus ovos para outras aves cuidarem e vai livre para onde quiser. Nunca esqueci daquela visão de vítima do pássaro preto indo para longe e até rindo de ter usurpado mais uma ave trouxa.

Anos depois , já na sexta série tive a oportunidade de ser sorteada em biologia com a visita ao jardim botânico para fazer a pesquisa sobre que pássaro? O anu.

Vi que era um ser com muitos nomes, e habilidade, e,  dependendo da localidade,  realmente estava escrito que os anus tinham o hábito de deixar seus ovos em ninhos de outros pássaros.

Lembre daqueles pássaros entregues a sorte e a boa vontade de uma outra ave, e sua progenitora nem aí para sua prole.

Mas será que não seria um ato de desprendimento do anu e um ato de amor incondicional do outro pássaro acolher, já que todos fazemos parte de uma grande malha energética existencial chamada vida?

A visão de vítima dos meus pais, que espelha a visão da maioria das pessoas do mundo, poderia dizer que o anu é um tremendo de um oportunista, que foi trapeceira com a outra ave, mas será que isso não é somente mais um ponto de vista de quem ainda  se sente vitimado e coloca a lente de vítima em tudo o que olha?

Se vive agora e quer testar seu lado vítima faz os exercícios que recomendo, mas se não se sente completamente habilitado para fazer isso sozinha, venha para uma sessão de clareza e transformação que te conduzo para tua liberdade emocional de ser a protagonista de tua própria história. 


quarta-feira, 26 de agosto de 2020

A culpa e suas diferentes facetas

 

Eu estou acompanhando carinhosamente todas as mensagens, enviando muita luz para que todas possam perceber com clareza seu momento. Como um anjo de guarda que fica iluminando, sabendo que todas as resistências vão ceder para a libertação do amor incondicional em cada uma das participantes, o que está ao meu alcance fazer, além de repassar as ferramentas e fazer as interpretações do que foi percebido. E por isso decidi falar um pouco mais das diferentes facetas da culpa.

A culpa não é uma emoção , ela é uma certeza embasada nos eventos que justificam a condenação. Como um tribunal, tem as provas para a pessoa ser culpada.

A culpa começa pelo julgamento do que já foi feito com olhar condenatório, o que leva a ter que pagar pelo erro usando a própria energia que poderia estar sendo usada em outra área como melhores relacionamentos.

A culpa vem em várias formas

·         Tem a culpa direta como quando declarando para nós mesmos: você é culpado pelo o que está acontecendo comigo, no meu mundo, nos meus resultados, muito comum nos conflitos familiares e relacionais de toda ordem, como no par romântico e no trabalho também;

·         Depois que passamos por algo e olhamos o que vivemos vem a  expressão eu era para ter feito diferente, eu era para ter visto, eu era para ter agido de outra maneira, quão tola eu fui que não vi no que ia dar, olhando para trás eu tenho vergonha dos meus atos;

·         Eu evito tal pessoa, tal atitude e tal situação junto com conclusões sobre o assunto com desconfortos emocionais ou corporais associados, onde só nos  permitimos transformar os resultados nos trancando, nos enclausurando, vamos sim precisar nos permitir exercitar para verificar o quanto nosso plano de ação está funcionando para novos resultados. Já tive vários problemas conflituosos no meu trabalho, que depois tive que voltar a ter contato com as pessoas e pude notar que realmente aquilo estava curado em mim.

·         Muitos dedos de culpa apontados para nós por pessoas ao nosso redor. Só indica que ainda nos culpamos muito e consentimos com essa culpa e o universo trás pessoas que nos mostram como ainda julgamos.

·         Apontando os erros dos outros, como se o que foi feito estivesse fora dos padrões internos de certo e errado, como se não existisse vários caminhos para chegar ao mesmo lugar, claro que uns podem ser atalhos que é o que estamos fazendo por aqui para os relacionamentos .

E tudo isso só está a disposição para vocês,  pois alguém como eu já viveu muito no julgamento, na autocondenação e superou tudo isso e pode passar um caminho mais suave, onde o mantra é: cada um faz o que pode inclusive eu...


terça-feira, 25 de agosto de 2020

Sobre tampas e potes e mudanças no resultados pessoais

 

Eu tenho o hábito de colocar sucos e vegneses em potes de vidro cheios até o topo, para impedir o contato com o oxigênio e evitar a degradação e no final do uso eu lavo os frascos para, depois secar e reaproveitar.

Mas eu não estava entendendo porque a tampa não se encaixava no pote e confesso que tentei de tudo que estava ao meu alcance, sequei, torci, enrosquei, apertei, mas dessa vez estava especialmente difícil de encaixar a tampa na embalagem de vidro. 

O que deu até uma tristeza, pois teria que jogar a tampa fora no final , mas qual o detalhe que eu esqueci: cada pote tem sua tampa e eu estava colocando a tampa no pote errado...

Levando isso para as ferramentas de clareza que a vida nos faz acessar, cada ferramenta tem um objetivo diferente na vida e se tal ferramenta não está dando o significado que esperamos, não adianta desanimar , nem forçar resultados diferentes, mas rever se realmente essa é a condição apropriada para os resultados que desejamos. Não adianta forçar e sim perceber o início da história e se estiver cansado dos resultados que está tendo, mudar a ferramenta, não sendo necessário mudar  as pessoas, primeiro porque não temos essa capacidade, pois cada um muda quando quer , e segundo se está desconfortável está dentro de nós a necessidade de um novo olhar sobre os fatos e a oportunidade de resignificar...

Se não consegue usar suas ferramentas de nascença apropriadamente sozinha para relacionamentos, venha que facilito para você o caminho, link http://wa.me/5553991051449

segunda-feira, 24 de agosto de 2020

O sol está sempre lá...

 


Hoje pela manhã eu fazendo algum exercício com o marido jogando badminton, e como aqui no sul está muito frio, apreciamos muitos pássaros locais e sentimos que melhora a sensação térmica quando tinha algum sol mesmo que tímido.

Comentei com ele sobre estar um dia ensolarado e por isso estava mais amena a temperatura e foi quando ele comentou, o sol está sempre lá , o que fica entre nós e o sol são as nuvens...

E assim é a paz, a liberdade, a coragem, a felicidade, o encantamento natural pela vida, estão sempre lá basta remover as nuvens  emocionais que impedem de sentirmos todo esse melhor na nossa existência, que são os eventos desconfortáveis que nos bloqueiam no corpo  de nos sentirmos plenos e poderosos.

A EFT veio para minha vida em 2010 para ser essa ferramenta removedora de bloqueios do acesso a luz que já nos habita, basta usar uma ferramenta de clareza e transformação apropriadas para cada caso.

Eu tenho centenas de ferramentas de clareza criadas e testadas por mim e consagradas com meus clientes

E se não conseguir usar sozinha para se libertar desses bloqueios emocionais que te impedem de ser mais feliz nos relacionamentos, venha para uma sessão de clareza comigo!


terça-feira, 18 de agosto de 2020

Propaganda de uso do tablet e o potencial nato humano para os relacionamentos felizes

 

Eu me lembro da propaganda alemã de um pai idoso que ganha o tablet da filha e para mostrar que gostou do presente entra na cozinha bem feliz com o eletrônico na mão. A filha responde a felicidade do pai, que cantarolava faceiro, com um sorriso, pois vê que até na cozinha o presente estava com o seu recebedor.

Então o pai coloca o equipamento sobre a bancada de trabalho, parecendo que o mesmo vai fornecer algum método culinário diferente para preparar aquele almoço, ou é somente mais um jogo de futebol que vai ser assistido , enquanto os legumes são preparados.

Mas para a surpresa e espanto da filha, que congelou com a atitude do presenteado, o pai corta todos os legumes sobre o gorila glass do aparelho, de depois raspa com uma faca a tela para remover completamente o resíduo dos vegetais picados da superfície, passa embaixo da água da torneira, para eliminar sobras e o golpe de misericórdia foi a abertura da porta da lava-louças, que foi acertado para completar o ciclo de lavagem junto com todos os pratos incluindo o presente que, se tivesse um cérebro, jamais entenderia por que teve que passar por tudo aqui.

Aqui é somente uma propaganda, mas exemplifica perfeitamente que mesmo tendo ferramentas internas para resultados favoráveis na vida para relacionamentos, normalmente precisaremos de alguém com maior experiência que conduza os primeiros passos no uso das mesmas e por isso que criei o desafio de 7 dias pelo whatsapp relacionamentos top 2.0- o começo, onde ensino a usar 7 ferramentas de clareza e objetividade para transformar relacionamentos e aprimorar os que já temos a partir da origem e seus registros no corpo. Início 24/8. Poucas vagas. 45 reais. Link abaixo na imagem.